Palco Amazona abre primeira noite do #SouManaus Passo a Paço 2023 ao som de muito reggae e rock

Palco Amazona abre primeira noite do #SouManaus Passo a Paço 2023 ao som de muito reggae e rock

A primeira noite do #SouManaus Passo a Paço 2023, nesta terça-feira, 5/9, foi marcada por shows regionais e nacionais no palco Amazona, localizado no terminal de cargas, que fica ao lado do mercado municipal Adolpho Lisboa, no centro histórico. O músico gaúcho Humberto Gessinger, da banda Engenheiros do Hawaii, foi uma das grandes atrações da line-up.

Quem abriu a grade de apresentações do palco do maior evento de artes integradas da região Norte do país foi a banda amazonense Jony Jack Mesclado, por volta das 17h30. Na cena local há mais de 24 anos, o grupo colocou o público para dançar o reggae raiz durante sua apresentação.

Devan Vital, vocalista da banda, agradeceu a participação no evento e destacou a importância da valorização dos artistas regionais. “É de suma importância porque é uma vitrine grande para os artistas que às vezes não tem espaço diante da mídia e poder mostrar o trabalho aqui e abrir portas para a rapaziada. A gente agradece o espaço e esperamos estar no próximo festival também”

Acumulando mais uma apresentação no festival, a guitarra e bateria da banda Official 80 deram o tom no palco Amazona, levando muito rock’n roll para a galera que esteve no espaço. O grupo é conhecido por mesclar um setlist de músicas nacionais e internacionais que vão do pop às clássicas. O guitarrista da banda, Alison Pontes, estava  empolgado de voltar ao palco do #SouManaus.

“O Humberto Gessinger é um cara que marcou gerações e para gente é uma honra participar do evento e fazer o show de abertura. Vamos fazer uma viagem no tempo desde os anos 70 até os atuais, vai ser bem legal e quem estiver por aí vai se divertir muito”, adiantou Pontes.

Em 2023, o #SouManaus conta com uma line-up regional de 77 artistas de vários estilos musicais, uma alta de mais de 580% no número de artistas locais em relação à primeira edição, em 2015, quando apenas 12 estiveram envolvidos, buscando reforçar o legado de valorização da cultura local e o respeito às diversidades.

Após as apresentações locais, foi a vez de Humberto Gessinger, que marcou o seu nome no rock nacional à frente da banda Engenheiros do Hawaii subir ao palco Amazona para comandar a noite com um nostálgico de quase quatro décadas de sucesso.

Estreando no festival, ele prometeu uma performance memorável ao som de canções como “Infinita Highway”, “Refrão de Bolero” e “ Terra de Gigantes”, além de trazer as escritas mais recentes do álbum “Quatro cantos de um mundo redondo”.

“Muito emocionado de estar aqui, eu já venho a Manaus desde os anos 80 e sempre sou muito bem recebido. O festival está maravilhoso e vou tocar pela primeira vez uma música do disco novo, então tem esse motivo a mais para ser uma noite especial”, declarou.

A cada metro quadrado do palco Amazona, diversas pessoas curtiram a mistura de ritmos que agitou a primeira noite do #SouManaus 2023. Entre eles, a professora Deise Souza, 43, que já assistiu a outras edições e elogiou a line-up diversificada deste ano.

“A arte não tem fronteira e você permitir o máximo de experiência artísticas possíveis é muito democrático, a gente tem uma certa carência disso, reunir público de todos os tipos, vibes e estilos é muito bom para a cidade de uma forma geral”.

O público que passou pelo palco Amazona dançou e cantou muito com as atrações desta terça-feira.  Luciana Monteiro, 48, servidora pública, contou que curtiu a programação da primeira noite. “Eu tô achando muito legal o festival, principalmente essa mistura de música, é reggae, é rock, é pop, é muito bacana essa mistura cultural”

Fã da banda Engenheiros do Hawaii, o estudante amazonense Denyson Oliveira, 32, garantiu um lugar no gradil do palco para ficar pertinho do ídolo, o músico Humberto Gessinger. “Está muito emocionante, vibrante e a sensação é inesquecível. A gente espera ainda vibrar bastante, cantar muito porque já tem um tempo que ele não e estávamos ansiosos para ver o show dele”.

— — —

Texto – Hellen Miranda / Semcom
Fotos– João Viana / Semcom